capa2

Conect – Educação, Saúde e Igualdade

Partilha
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

ENTIDADES ENVOLVIDAS:

A P&D Factor – Associação para a Cooperação sobre População e Desenvolvimento é uma associação sem fins lucrativos reconhecida como Organização Não-Governamental para o De- senvolvimento (ONGD) pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P.. Tem por objecto/missão a promoção e protecção do Desenvolvimento em conformidade com os Direitos Humanos de cada uma e de todas as pessoas, com base na não discriminação e na promoção da igualdade centradas em princípios de ordem científica, educacional, social e filantrópica. Mais informações aqui:https://popdesenvolvimento.org/index.php

A HumanitAVE – Associação de Emergência Humanitária, localizada a Norte do país, trata- se de uma ONGD reconhecida pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., com atuação na Guiné Bissau nas vertentes da educação, saúde e, mais recentemente, das violências de género, tendo realizado no ano de 2019 ações de sensibilização a públicos estratégicos e feito um levantamento de dados qualitativos sobre as percepções destes/as profissionais acerca das várias formas de violência de género no país, as limitações do seu combate e, as potencia- lidades. Mais informações aqui: https://humanitave.pt/apresentacao/

BREVE CARATERIZAÇÃO DO PROJETO:

Sabemos que no mundo mais de 200 milhões de meninas e mulheres vivem com al- gum tipo de Mutilação Genital Feminina (MGF) e 67 Milhões foram casadas antes de com- pletar os 18 anos. Este é um problema que atinge também o nosso país, havendo identifica- ções anuais de situações de MGF e Casamentos infantis, precoces e forçados (CIPF). A de- sinformação, os desconhecimentos ajudam a perpetuar as práticas nefastas e a esconder estas realidades que são problemas de todos e todas nós.

O projeto Conect – Educação, Saúde e Igualdade -, quer juntar jovens com vontade de fazer a diferença e trabalhar para o fim da MGF e de outras práticas nefastas aos direitos hu- manos, empoderando-os e incentivando-os a serem parte da mudança.

Para tal, propomos a construir uma bolsa de jovens pontos focais composta por jovens universitários, que irão dinamizar sessões de consciencialização em escolas secundárias. A bolsa de pontos focais será alvo de capacitação para a realização de sessões junto de jovens, sendo objetivo desta ação, realizar uma educação entre pares que promova o pensamento crítico e o envolvimento de todos/as estes/as jovens.

No final, serão construídas recomendações em torno do trabalho com jovens na área das práticas nefastas e haverá um momento de partilha de final de projeto.

Por fim, prevemos uma continuidade deste trabalho, na Guiné-Bissau, junto de jovens líderes de diferentes comunidades, a fim de se promover um caminho e um diálogo entre a realidade nacional e dos países onde estas práticas são culturalmente instituídas.

ÂMBITO GEOGRÁFICO:

A atividade 1 e 2 irá abranger a Zona Norte do país, ficando dependente das candida- turas que forem recebidas para a participação.

Esta opção deve-se ao facto de, em Portugal, as iniciativas de prevenção/intervenção estarem atualmente centradas na zona Sul, havendo uma clara pertinência de alargamento da sensibilização ao restante território nacional, tendo em conta fenómenos como a globalização, migrações e outros.

OBJETIVOS DO PROJETO:

  • Promover conhecimento e informação para a prevenção das Práticas Nefastas junto de estudantes do ensino superior e secundário.
  • Realizar ações e iniciativas de informação e educação para a participação em igualdade e Drt. Humanos com foco nas Práticas Nefastas.
  • Reforçar o conhecimento de jovens sobre instrumentos nacionais, regionais e globais de Drt. Humanos em matéria de Igualdade e Práticas Nefastas, com foco no ODS 5 e Educação para a Cidadania.
  • Promover a intervenção cidadã para o fim da VbG com foco na erradiação das Práticas Nefastas em estruturas e espaços juvenis.
  • Promover a visibilidade da participação juvenil em contexto escolar em Drt. Humanos com foco nas Práticas Nefastas
  • Promover uma atuação e análise do fenómeno inter-pares no contexto CPLP

NÚMERO DE ATIVIDADES A DESENVOLVER

Atividade 1 – formação cerca de 30 facilitadores (pontos focais);

Atividade 2 – pelo menos 40 sessões de consciencialização, a atingir, pelo menos 800 jovens estudantes do ensino secundário;

Atividade 3 – Sessão de finalização do projeto e reflexão do processo.

Juntos Construímos Um Mundo Melhor!